domingo, 20 de junho de 2010

sábado, 19 de junho de 2010

A vida


A vida é uma oportunidade, aproveita-a.


A vida é uma beleza, admira-a.

A vida é um dom, aprecia-o.

A vida é um sonho, realiza-o.

A vida é um desafio, aceita-o.

A vida é um dever, assume-o.


A vida é um jogo, joga-o.

A vida é cara, preserva-a.


A vida é um tesouro, conserva-o.

A vida é amor, saboreia-o.

A vida é mistério, aprofunda-o.

A vida é uma promessa, cumpre-a.

A vida é tristeza, ultrapassa-a.

A vida é uma canção, canta-a.

A vida é uma luta, trava-a.

A vida é uma tragédia, enfrente-a.

A vida é uma aventura, ousa-a.

A vida é sorte, merece-a.

A vida é preciosa, não a destruas.

A vida é Vida. Luta por ela.

Madre Teresa de Calcutá

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Amizade

A vida sem amigos é como céu sem estrelas, pois são eles que nos iluminam nos dias mais escuros

Para a minha Professora muito querida

Gostei muito de a ter conhecido, sempre foi uma professora espectacular comigo, algumas vezes a professora ralhava comigo mas eu sei que era a brincar, bem lá no fundo do coração a professora é boa pessoa. Sei que nos vamos separar, mas não há distância alguma que acabe com uma bela amizade. Eu sei que muitas vezes reclamo com os colegas ou com a professora. Quando a conheci pensei "bem estamos feitos", mas com o passar do tempo foi conhecendo-a melhor e percebi o quanto estava errada a seu respeito. Desejo tudo de bom que a vida tem para lhe dar. Espero nunca sair do seu coração pois do meu você jamais sairá.

Adoro-a muito, escrevo esta carta para você perceber o quanto eu gosto de si, é feita com muito amor e carinho.

Para a professora Diana Tavares da sua aluna Lilina.

Video de alerta sobre o fast food.

Não te coloques neste caminho, vais destruir automaticamente a tua vida e acredita, não é isso que queres para ti.
Pensa no teu futuro e não olhes a meios, cada ser humano nasceu para triunfar à sua volta, marcando sempre a sua diferença.

video

Hoje em dia e cada vez mais a nossa sociedade se limita ao comodismo para não ter trabalhos sem obrigações. Esta sociedade, na qual estamos inseridos é bastante consumista e materialista, valorizando assim aspectos fúteis em cada ser humano, o que os torna, indivíduos extremamente insensíveis.
A nível do fast food (as ditas comidas rápidas), os jovens são uns dos mais consumidores. É barato, rápido e para além disto é algo apetecível, tendo publicidade que nos leva a deslocar a estes locais.


(em actualização irá ser colocado um video sobre o tema Obesidade vs Anorexia, indicado no texto abaixo)

Contudo, existe o contrário, isto é, como as pessoas se preocupam demasiado com o aspecto físico, existem jovens que tem medo de engordar e evitam o fast food, juntamente com as comidas gastronómicas, criando assim problemas de má alimentação e de todos os tipos de doenças que serão originadas por estas razões.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Fast Food vs Obesidade vs Anorexia

"Numa geração actual com tanta informaçao, porque te deixas afogar no fast food?
É altura de ganhares atitude e dizeres não a essa droga.
Nãe te injectes com tanto 'plástico'."

Cátia Bastos

Fast Food vs Obesidade vs Anorexia


Fast Food vs Obesidade vs Anorexia


Fast Food vs Obesidade vs Anorexia


Qual o sentido da Vida?

Sentido da vida

Sentido da vida

Porque estou no Mundo?

O que haverá depois da morte?

Estas questões revelam a incidência de 2 aspectos:
- Evidência da nossa fragilidade
- Evidência da nossa grandeza


Tudo é incerto e derradeiro,
tudo é disperso, nada é inteiro!
Fernando Pessoa


Procurar o sentido da vida é...ir além de factos da vida!

A vida não precisa de ser eterna, para ter sentido!

Quando nascemos a vida não tem sentido, mas a vida dos nossos pais ganha um novo sentido.
Muitas vezes o preconceito leva a que não façamos o que realmente gostamos, e assim destrói-se a essência e não temos o sentido para a vida.

O importante ésaber viver com o outro, mas não devemos perder o sentida da vida apenas com medo do que o outro vai pensar.

Liberdade/Libertinagem (A vida não tem sentido)



E para ti, qual o sentido da vida?

Por vezes questionamo-nos porque estamos no mundo ou porque vivemoe e isto revela a evidência da nossa grandeza e da nossa fragilidade.
Para mim, procurar o sentido da vida é ir além de factos da vida, é concentrar-me nos meus objecticos e lutar para os alcançar.
Há momentos da vida em que pensamos que nada faz sentido, que não há sentido na nossa vida, e isto principalmente quando pensamos na morte, mas aí é fundamental perceber que a vida não precisa de ser eterna para ter sentido.
A sociedade actual imita cada vez mais os estados unidos, na maneira de vestir, de agir, e este é um efeito da globalização, daí a importância de sermos empreendedores.
Actualmente há muitos jovens da minha idade que seguem tudo pelo que os pais querem e por vezes não usufruem dos seus gostos pelo preconceito relativamente á sociedade, e isto faz com que estes jovens vivam frustados e sem sentido na sua própria vida.


Globalização, Estilos de vida e Urbanização
















segunda-feira, 14 de junho de 2010

Cancro do útero: Sintomas de alerta

O cancro no útero surge, geralmente, depois da menopausa. No entanto, também pode ocorrer no início da menopausa. O sintoma mais comum de cancro no útero é uma perda de sangue vaginal anormal. A perda de sangue pode, no início, conter apenas vestígios de sangue que, gradualmente, vai aumentando. Não deve ser assumido que qualquer perda de sangue vaginal anormal seja provocada pela menopausa.
Se apresentar qualquer destes sintomas, deve consultar o médico:
Perda de sangue ou corrimento vaginal anormal.
Dificuldade ou dor ao urinar.
Dor durante a relação sexual.
Dor na zona pélvica.
Na maioria das vezes, estes sintomas não estão relacionados com um cancro no útero, e podem, ainda, ser provocados por tumores benignos ou outros problemas. Só o médico poderá confirmar. Qualquer pessoa com estes sintomas, ou quaisquer outras alterações de saúde relevantes, deve consultar o médico, para diagnosticar e tratar o problema tão cedo quanto possível.


Por isso caso tenhas esta doença, pensa que "O sonho e a esperança são dois calmantes que a natureza concede ao ser humano."

domingo, 13 de junho de 2010

A vida

Há 1 ano a minha vida mudou. Há 1 ano estou no "fundo do poço". Não sei como lá foi parar. Só sei que lá estou.
Reconheço que por vezes não faço um esforço para mudar, mas . . .
Todos os dias faço muitas perguntas a mim mesma sobre o porquê de estar assim e não conseguir voltar a ser a rapariga de antes.
Ao inicio ninguém se apercebeu que algo em mim estava diferente, mas eu sabia que sim. Sempre tentei dizer mas ninguém me ouvia.
Nesta fase da minha vida quero as pessoas mais importantes do meu lado, como os pais, irmão e amigos. Amigos, só os verdadeiros. Os meus pais chegaram a um ponto que não me conseguem compreender. Eu compreendo-os mas magoa. Ás vezes até costumo dizer que os de fora conseguem entender-me melhor do que os de dentro, mas eu sei que lá no fundo eles estão ali para o que eu precisar.
É difícil viver assim, não conseguir estar em casa sozinha, em algum lado que esteja estar sempre com medo de tudo . . .
Para quem não era assim custa, esta mudança tão repentina.

A vida é um livro. Numas páginas coisas boas, noutras coisas más da vida.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Verdadeira Amizade

A Verdadeira Amizade

"A verdadeira amizade é aquela que nos permite falar, ao amigo, de todos os seus defeitos e de todas as nossas qualidades."

"Amizade verdadeira não é apenas concordar
É também saber discutir
É estar presente quando se precisar
É sentir quando se deve sorrir..."

"Na amizade verdadeira
Tem se ter várias atitudes
Para ir fortalecendo a cada dia
Esta sentimento cheio de virtudes..."

quarta-feira, 9 de junho de 2010

16% dos adolescentes são vitimas de abuso emocional

Um trabalho de investigação promovido pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), que avaliou mais de sete mil adolescentes com idades entre os 15 e os 19 anos, de escolas públicas de todo o país, revela que 16 por cento dos jovens confessam-se vítimas de abuso emocional e 13 por cento de abuso físico.

O estudo teve como objectivo estimar a prevalência de jovens envolvidos em violência (participando em lutas e sendo vítimas de violência física, psicológica ou sexual). Para isso, foram inquiridos alunos de 16 escolas públicas das capitais de distrito portuguesas, através de um questionário anónimo.

Os resultados permitiram concluir que os abusos emocionais são o tipo de violência mais referido entre os adolescentes dos 15 aos 19 anos, tendendo a aumentar com a idade. Da amostra, 13 por cento declararam ser vítimas de abuso físico, sendo que o envolvimento em lutas foi mais comuns nos rapazes, especialmente entre os mais novos. Os abusos sexuais atingem de forma similar rapazes e raparigas, com uma prevalência de 1,9 por cento. Não foram encontradas diferenças entre as regiões nas prevalências dos vários tipos avaliados.

Quanto às características socioeconómicas, o estudo demonstrou que os adolescentes provenientes das famílias mais pobres reportam mais violência física. Por seu lado, os filhos de pais mais escolarizados relatam com mais frequência abusos emocionais. Segundo os investigadores, “estes resultados podem estar relacionados com a forma como os jovens, dependendo do ambiente no qual estão integrados, percepcionam a violência”. É possível que os adolescentes de classes mais altas identifiquem como abuso emocional situações que os jovens de classes mais baixas desvalorizam.

Abusos podem comprometer a auto-estima
Abusos podem comprometer a auto-estima
As raparigas que se classificaram como “sem religião” referiram mais frequentemente serem vítimas de abuso físico e emocional, no entanto não se observou associação com o envolvimento em lutas. Outras investigações internacionais sugerem que a religião pode influenciar o comportamento destes, na medida em que, quando praticantes de uma religião, estão envoltos num conjunto de regras e valores que exercem pressão na sua conduta, ainda que de forma subjectiva.

Consumo de substâncias e violência

O consumo de tabaco e cannabis também foi avaliado. Como esperado, uma vez que se conhece a relação entre os diferentes comportamentos de risco, o consumo destas substâncias associou-se a todos os tipos de violência, tanto nos rapazes como nas raparigas.

Os dados deste estudo, referentes a 2000, revestem-se de especial importância numa altura em que o bullying está no centro das atenções por causa de casos extremos que vieram a público. No entanto, de acordo com os autores, importa conhecer o fenómeno de violência nos adolescentes como um todo, uma vez que os casos de maior gravidade são apenas “a ponta do icebergue”.

Os investigadores da FMUP lembram que os abusos podem comprometer a auto-estima, a criação de relações interpessoais saudáveis e o desenvolvimento de sentimentos de confiança em si próprio e nos outros.

Companheirismo, União!

Companheirismo, qualidade difícil de se encontrar numa época em que o individualismo predomina. Acho que o mundo moderno desaprendeu o “estar com alguém” e, em seu lugar, exerce uma busca de independência na relação, para mascarar a forte necessidade de vencer a solidão…

Saber ser companheiro de alguém é uma arte que se baseia na maturidade conseguida. Maturidade que permite que se esteja junto, sem querer dominar ou ter um poder sobre o outro, que nos possibilita ser diferente de alguém e, apesar disso, aceitar e respeitar essa diferença.

Ser companheiro é saber ouvir e saber falar, é ficar disponível sem hesitar, é compreender o que o outro sente para poder compartilhar a vida.

Ser companheiro é ter a coragem de abrir o coração e oferecer momentos, para que o outro me conheça e sinta confiança em se deixar conhecer também por mim.

Ser companheiro é dar as mãos sem aprisionar, ser companheiro tem muito de doação e de flexibilidade.

Como outras coisas na vida, a dualidade (carácter daquilo que é duplo) aqui também se faz presente: o companheirismo nasce e desenvolve-se na relação, alimenta-se dela e da crença de que somente convivendo é que me tornarei, antes de tudo, companheira de mim mesma.

Quantas vezes paras-te para pensar no valor que há nas pessoas que convivem contigo?
Aquelas que te acompanham no teu dia-a-dia e estão sempre prontas para te apoiar?

Talvez não consigas dar valor ao apoio que essas pessoas te dão, porque às vezes são apoios tão pequenos e frequentes que se tornam até naturais, como se fosse parte da responsabilidade

delas, mas na verdade não são.Muitas vezes as pequenas coisas que as pessoas fazem, significam tudo para o teu dia ou simplesmente para ti. É uma palavra, uma pergunta ou uma gentileza que nos faz esquecer que o dia está “pesado” tornando-o num dia melhor.

Quando alguém fizer algo por ti, valoriza. Porque a pessoa faz por que quer o bem e não porque é obrigada.
O companheirismo é isso. Saberes que podes contar com a outra pessoa e ela poder contar contigo. Sempre. Como se fosse natural e sem ser forçado.

Somente quando as pessoas se conhecem e se respeitam, é que elas sabem valorizar os pequenos gestos que demonstram que ser companheiro é fazer parte do dia-a-dia.
Se conseguires ver mais as pessoas que te cercam, certamente vais identificar os verdadeiros companheiros em muitos que tu nem imaginas que sejam.

Tu precisas exercitar o companheirismo com os teus colegas e as pessoas com quem convive

s porque é pelo teu exemplo que os outros vão entender o quanto é importante ser companheiro.
É ter maturidade demonstrar que és companheiro, e que valorizas este posicionamento, porque as pessoas vão fazer o mesmo por ti. Tu plantas o que colhes, certo?!
Olha para os outros e aprende. Faz com que os outros aprendam contigo.
Sê companheiro com os teus e, valoriza quem o é contigo.

O objectivo é: todos nós aprendermos a ser companheiros.

O Bullying presente em Portugal

O Bullying, expressão inglesa com difícil tradução para português, que só à bem pouco tempo foi reconhecida pelos Portugueses, está cada vez mais presente no nosso país. Consiste na violência psicológica e/ou física, é exercida por um indivíduo ou um grupo que o faz consciente ou intencionalmente e na maior parte das vezes é continuada, ou seja, dura algum tempo.

Os agressores procuram vítimas fracas, julgam-nas pela aparência, religião, sexo, escolha sexual, etnia, deficiências (como por exemplo a fala), tornando-as mais fracas e desprotegidas. Gozar, chamar nomes, fazer ameaças, empurrar, humilhar, excluir de brincadeiras e jogos são actos de todos os dias, que acontecem "desde sempre, desde que há crianças". E a isto se chama BULLYING! Algo que muitas vezes é considerado pelos pais como "saudável" e "uma forma de aprender a viver e defender-se", mas no entanto pode deixar marcas para toda a vida.
O Bullying marca a personalidade de uma pessoa para o sempre, pois torna-a débil na capacidade de comunicação, torna-a incapaz de se afirmar em termos sociais, profissionais e amorosos.
As vítimas deste acto cruel tornam-se muitas vezes pessoas tão frágeis que chegam mesmo a tentar o suicídio. E o pior é que, quando estas procuram denunciar as situações em que vivem, são mal recebidas, acabando por também serem vítimas de incompreensão.
Deve existir nas escolas um gabinete de apoio, onde os jovens, vítimas ou simples testemunhas possam denunciar o que viveram ou presenciaram. Mas não é isso que acontece na maior parte das vezes, pois as vítimas preferem sofrer em silêncio a levar novamente por denunciar.
Os psicólogos não são admitidos nas escolas exclusivamente para acompanharem as crianças/jovens que apresentam um atraso na aprendizagem, não! Os psicólogos devem estar nas escolas para darem apoio àqueles que mais o necessitam e, nestas situações uma criança ou jovem preferem uma boa palavra, palavra de conforto e protecção a um 'excerto de porrada'.

O Bullying não é uma brincadeira, é uma brutalidade que deixa marcas para a vida inteira!

terça-feira, 8 de junho de 2010

O erro de uma pessoa, pode magoar outra!

E para ti qual é o sentido da vida?

Para viver a vida é preciso darmos-nos conta de que estamos vivos. Eu própria esqueço-me de sentir a minha existência, não me dou conta de que respiro e é o que acontece com a maioria das pessoas. Há momentos em que as pessoas vivem tanto que se esquecem que existem outras vidas, de tanto viverem acabam por magoar os outros.

Tanta futilidade, tanta excentricidade, tanta indiferença, tantas humilhações e tantas coisas que deixamos fugir por entre os dedos, para quê? Para depois nos darmos conta que não ganhamos nada com essas atitudes, que não valeu a pena e que magoamos as pessoas que nos eram mais próximas e que tinham significado na nossa vida? São esses nossos erros que nos ditam o futuro, desejamos tanto voltar ao passado e evitar esses erros para que agora no presente estejamos bem
. Mas são com esses mesmos erros que aprendemos a dar mais valor à vida e igualmente às pessoas que nos restaram, que escaparam das nossas injustiças.
Tantas vezes que fechamos os olhos a gestos tão bonitos que nos fazem, tantas vezes que afastamos a mão de alguém que mais precisa, tantas vezes que abrimos a boca para dizer aquilo que contraria o coração, tantas... mas tantas vezes que paramos no caminho com medo de seguir em frente acabando por se nos fugir grandes oportunidades e esperanças.
Para alguns jovens namorar é o único sentido da vida, vivem o amor a fundo, prometem mundos e fundos, mas na verdade, esses jovens não sabem qual o verdadeiro sentido da vida porque se limitam a viver em função do (a) parceiro (a).
É preciso pôr a mão no peito e sentir o coração bater, tentar escutar aquilo que ele nos diz pois um dia ele parará. Fazer uma introspecção para nos encontrarmos (...)
Para mim, o verdadeiro sentido da vida é dar-me sem pedir nada em troca, ter objectivos e ideais, ter sonhos, ter o afecto, o amor, o conforto de quem me é próximo. É ter amigos e ser amiga, é ter pais e irmão e ser filha e irmã, é ter tido uma infância com alguma insegurança e ter seguido em frente sozinha até avistar o meu porto seguro e, com isso ter dado mais valor ao facto de ser criança. É ter valores, demonstrá-los aos outros e não ter vergonha, é lutar pelos meus objectivos, tentar realizar os meus sonhos.

O verdadeiro sentido da vida é sentir-me viva, esta não precisa de ser eterna para ser vivida.Há que viver a nossa vida, pois ninguém o fará por nós.

Um dia tu aprendes